sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Orkut muda para manter base de usuários


Google também planeja aumentar a rentabilidade da rede social com publicidade
A cara nova do Orkut
O Google anunciou nesta quinta-feira, 29, as mudanças que há um ano vêm sendo planejadas e colocadas em doses homeopáticas no ar na página do Orkut. Totalmente redesenhada e com novas funcionalidades, a rede social mais popular da internet brasileira ganha agora mais agilidade nas atualizações. Montar um novo álbum de fotos, por exemplo, consumirá três vezes menos tempo dos usuários que, enquanto aguardam a atualização, podem já escrever as legendas das imagens e selecionar os amigos para quem desejam enviar. Com ferramentas como a possibilidade de postar depoimentos em vídeo.
De acordo com pesquisa encomendada pelo Google, o compartilhamento de fotos é um dos serviços mais populares do Orkut, tendo sido citado como preferido por 67% dos usuários. "Mais de 30 milhões de fotos são postadas todos os dias nas páginas do Orkut. Nossa ideia é justamente facilitar esse compartilhamento", comentou Victor Ribeiro, diretor de produtos do Orkut.
A página do perfil também poderá ser configurada com cores diferentes e as informações pessoais poderão ir além de texto sendo expressas por meio de vídeos ou dos aplicativos agora disponíveis.
A proposta com a nova configuração é também tornar o Orkut mais rentável do ponto de vista de publicidade. De acordo com Berthier Ribeiro Neto, diretor de engenharia do Google para a América Latina, o endereço já vem se mostrando rentável no Brasil e as mudanças podem culminar em uma variedade maior de formatos para os anunciantes. "Temos conquistado resultados excelentes, mas procuramos respeitar os usuários sem exagerar na dose, já que o aumento de receita está relacionado à penetração contida da publicidade", disse.
Estratégia de divulgação
Semanas atrás vazava na internet a informação da reformulação do Orkut assim como uma imagem dando uma prévia de como seriam essas mudanças. Tudo isso, no entanto, fazia parte da primeira etapa da campanha de divulgação para a rede social. Através do personagem Danilo Miéd, o Google, portanto, anunciou as transformações utilizando todos os outros canais sociais existentes na internet. Para tanto forma criados um blog, perfil no Twitter, vídeos no YouTube e a viralização através das páginas das bandas Skank e Detonautas também no site de compartilhamento de vídeo.
A segunda fase da campanha foi iniciada hoje e consiste da distribuição de convites aos seguidos do personagem para que passem a usufruir da nova era do Orkut. Isso porque, assim como aconteceu na chegada do Orkut ao País, somente poderão acessar a nova interface os internautas devidamente convidados. "Com a propagação dos convites esperamos que no final do primeiro semestre de 2010 todos os usuários do Orkut já tenham migrado para nova plataforma", diz Ribeiro.
A nova interface, porém apenas poderá ser acessada mediante convites, que começaram a ser distribuídos pela equipe do Google no Brasil.
Por Mariana Ditolvo
Fonte: http://www.mmonline.com.br/noticias.mm?url=Orkut_muda_para_manter_base_de_usuarios&origem=mmbymail

Filme de terror de baixo orçamento vira hit nos EUA

´Paranormal activity´ já faturou mais de US$ 30 milhões nos EUA.
Longa conquistou legião de fãs graças a sucesso na internet.

Imagem do filme 'Paranormal activity', em cartaz nos EUA.
Os críticos disseram: "o filme mais assustador da década", "o filme mais assustador da minha vida", "o filme mais assustador de nosso tempo". Para algumas produções de Hollywood, citações como essas são apenas a cereja sobre uma campanha de marketing de dezenas de milhões de dólares. No caso de "Paranormal activity", filme de terror de baixo orçamento em cartaz nos Estados Unidos, elas são a própria campanha de marketing.
As frases citadas acima, repetidas vezes em contextos diversos em comunidades virtuais como o Twitter ou o Facebook, impulsionaram o longa. No fim de semana dos dias 9 a 11 de outubro, a arrecadação do fim de semana chegou a US$ 7,9 milhões, conquistando a alta marca de US$ 49.379 por sala de cinema. Neste fim de semana, foram mais US$ 20 milhões, ultrapassando a barreira dos US$ 33 milhões no total.
"Paranormal activity" não tem grandes estrelas nem altos investimentos. Mas vem contando com uma legião de fãs que cresce minuto a minuto, na medida em que mais pessoas postam suas impressões sobre o filme na internet. A distribuidora Paramount Pictures gastou até agora alguns poucos milhões de dólares promovendo o filme, uma fração mínima do que é normalmente investido em grandes lançamentos. Parte desse dinheiro foi gasto em sites e na programação de sessões antes da estreia, que deram início à propaganda boca-a-boca a favor do longa.
Escrito e dirigido por Oren Peli, feito com um orçamento de apenas US$ 15 mil, o filme nasceu da ideia de refazer, com mais dinheiro e brilho, a produção com cara de documentário (porém, ficcional), que contava a história de um casal atormentado por estranhos fenômenos e aparições. Mas o estúdio achou que os rascunhos da história de terror de Peli se sustentavam por si só. No roteiro, um casal se muda e passa a achar que seres sobrenaturais perambulam pela casa durante a noite. Assim, ligam uma câmera para registrar o que acontece enquanto estão dormindo. Essas imagens formam "Paranormal activity". O projeto ganhou ajustes, cortes e melhoras. Passou-se, então, a pensar numa forma de atrair fãs.
O estúdio começou promovendo sessões à meia-noite, em 13 cidades dos Estados Unidos, e depois deixou o público decidir onde o filme deveria ser exibido. Em sua segunda semana, "Paranormal activity" chegou a outros 20 mercados norte-americanos. As sessões passaram a ocupar salas de cinema durante todo o dia, e o estúdio continuou aumentando as salas de exibição para 46 cidades. A intenção é que ele siga viagem de acordo com o que os fãs decidirem em votação na internet, mas "Paranormal activity" já está em mais de uma centena de cinemas nos EUA.
A legião de fãs segue crescendo exponencialmente, à medida em que as pessoas vão vendo o filme. "Paranormal activity" permaneceu entre os tópicos mais populares do Twitter durante vários dias seguidos. "Nos sites de relacionamento na internet todo mundo está falando sobre quão assustador é esse filme", afirma Paul Dergarabedian, analista de bilheterias do site Hollywood.com. "Isso não acontece todo dia."
O sucesso fez lembrar "A bruxa de Blair" (1999), outro filme de terror de baixo orçamento que acabou se transformando em fenômeno mundial, tendo arrecadado US$ 140 milhões. E outros filmes do mesmo genêro, que com a internet acabaram ganhando fãs ao redor do globo, como "Serpentes a bordo" (2006) e "Cloverfield - Monstro" (2008). Mas o filme tem potencial para entrar na lista dos hits que ultrapassaram US$ 100 milhões em bilheteria? "Seria altamente improvável, já que isso não aconteceu ainda nesta década. Eu certamente não traçaria uma meta nesse sentido, mas é fato que o filme se
transformou em um grande sucesso, e seu desempenho nas próximas semanas mostrará quão grande esse sucesso pode ser", afirma Rob Moore, presidente da Paramount.
Fonte: Portal G1

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Google Street View em Belo Horizonte

O Google Street View chegou finalmente ao Brasil, graças a uma parceria do gigante da internet com a Fiat. Belo Horizonte é a primeira cidade do país a receber o serviço. Será também aprimeira a ter no Google Maps informações sobre os transportes públicos locais. São Paulo e Rio de Janeiro também estão nos planos, mas terão que esperar. O Street View dá ao internauta uma visão de 360 graus das ruas das cidades onde está presente, permitindo uma verdadeira viagem virtual.

Parte da frota de trinta carros Stilo da Fiat na garagem da Google Brasil em Belo Horizonte
Para capturar as imagens serão utilizados 30 Fiats Stilo equipados com máquinas fotográficas adaptadas.. Os carros estão percorrendo as ruas de Belo Horizonte, capturando imagens em 360 graus no eixo horizontal e 290º no vertical, na altura do olhar do motorista e do pedestre.

Andreas Huettner, diretor comercial do Google Brasil, acredita que o Street View será uma ferramenta útil para anavegação urbana nas metrópoles brasileiras. O Street View é uma funcionalidade muito popular do Google Maps nos países onde já foi lançado – diz.

A foto acima é do Top Hill, na Avenida Bias Fortes em Belo Horizonte , onde fica o escritório do Google Brasil.
A questão, no entanto, não é tão simples assim. Em boa parte das cidades onde chegou, o Street View causou polêmica e foi acusado de violação de privacidade. Muitos reclamam quando vêem as fachadas de seus prédios ou quintais de suas casas na internet. Em uma vila inglesa, os moradores chegaram a impedir o carro do Google de circular, enquanto no Japão autoridades pediram o cancelamento do serviço e a Grécia proibiu a gravação de imagens em certas cidades. Até mesmo Sir Paul McCartney entrou na polêmica, pedindo que imagens de sua casa fossem retiradas do site.

Google Street View nas ruas de Belo Horizonte
Além disso, a câmera do Google mostra também imagens das pessoas que passam nas ruas no momento em que estas são fotografadas. Apesar dos rostos serem borrados, graças a manipulação digital das imagens, algumas situações contrangedoras foram criadas. Um homem, por exemplo, teria sido reconhecido ao sair de uma sex-shop.

No site de divulgação do Street View brasileiro, Huettner defende o serviço, afirmando que ele permite mais do que apenas “passear” virtualmente pelas ruas.

“Poder ver a cidade da perspectiva do nível do solo acrescenta muita informação e relevância para os usuáriosque realizam pesquisas no Google Maps”, alega. “O Street View permitirá ao internauta não apenas visualizar a rua como estivesse parado na calçada, mas também fazer caminhadas virtuais – com direito a giro panorâmico e zoom e encontrar lojas, restaurantes, parques e pontos turísticos, com alta precisão e nitidez.”

Magic Mouse - O novo mouse da Apple

Além de ser bluetooth, o novo mouse segue o mesmo conceito multi touch dos macbooks …
ou seja, vc não precisa mexer ele de lugar, e sim mexer nele . Perfeito pra quando vc não tem espaço …
Com sensores que possibilitam a configuração de todos os comandos ja disponíveis no touch do macbook.

TV deixa de ser o item mais importante entre os jovens


Apesar de ser o aparelho com maior penetração no Brasil, a TV perdeu o reinado entre os jovens. Pesquisa realizada pelo Ibope mostra que o meio deixou de ser o mais importante para a população jovem, considerada até 34 anos.
O estudo considera os hábitos de consumo de meios de comunicação. De acordo coma coluna Outro Canal, do jornal Folha de S.Paulo, o estudo apontou que, entre a faixa etária de 10 a 17 anos, o computador com internet é o item mais relevante, com 82% no ranking de prioridade. Em seguida estão a TV (65%) e o celular (60%).
Para a população de 18 a 24 anos, quem lidera o ranking é o celular com 78%, seguido por: computador ligado à rede (72%) e TV (69%). O grupo de 25 a 34 anos tem o celular como item mais importante (81%), depois aparecem: TV (73%) e computador (65%). A TV lidera a pesquisa com 77% de preferência, na média geral.
Segundo Dora Câmara, diretora comercial do Ibope, a pesquisa mostra que existe um processo de convergência, principalmente entre a população mais jovem, que possui mais capacidade para acomodar os meios de comunicação simultaneamente. "Metade dos jovens de 12 a 19 anos costuma acessar a internet enquanto veem TV ou ouvem rádio".
Mesmo assim, 82% dos 800 entrevistados afirmou que prefere utilizar um meio de cada vez.
Fonte: Redação Adnews http://www.adnews.com.br/midia.php?id=95527

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Filme de zumbi de 70 dólares será exibido na 33ª Mostra


Colin, de Marc Price
Edição: Renata de Almeida e Leon Cakoff
Redação: Beth Andalaft, para o “Jornal da Mostra”
Edição: Renata de Almeida e Leon Cakoff
Redação: Beth Andalaft, para o “Jornal da Mostra”
Um filme de zumbi realizado com uma câmera de vídeo ao custo de apenas 70 dólares, conseguiu distribuição nos cinemas do Reino Unido e é uma das atrações da 33ª Mostra Internacional de Cinema, de 23 de outubro a 5 de novembro.
Colin, dirigido pelo britânico Marc Price, chegará aos cinemas britânicos a tempo de competir com os “blockbusters” de Hollywood produzidos para o Halloween, neste mês de outubro. “Se eu pensar friamente, é um pouco assustador, ver o sucesso chegar ao preço de um cordão de sapatos”, diz o diretor. Por se tratar de seu primeiro longa-metragem, o filme integra a Competição de Novos Diretores da Mostra, concorrendo ao Troféu Bandeira Paulista.
Price escreveu, dirigiu, filmou e editou Colin em 18 meses, durante os quais trabalhava à noite como motorista de táxi. Aos 30 anos, em seu primeiro trabalho e com pouca publicidade, ele conseguiu voluntários a zumbi no sitio de relacionamentos Facebook. Aprendeu maquiagem e efeitos especiais assistindo à sua coleção de DVDs de filmes de terror e ouvindo os comentários de outros diretores.
Segundo Marc, precisou apenas de US$ 70, algumas fitas, um pouco de café e chá para manter os zumbis felizes no set. Desde o sucesso de Colin, Price tem sido procurado por jovens cineastas de todo o mundo, interessados em fazer seus próprios filmes mesmo com poucos recursos financeiros. “Essa é a melhor parte”, diz Price, lembrando que era como esses jovens quando tinha 16 anos de idade – mas ressaltando que o seu celular deve ter uma imagem melhor que a câmera de vídeo deles.
Quando lançar o DVD de Colin o diretor promete colocar informações sobre a realização do filme, para ajudar outros jovens diretores. Em entrevista à rede americana CNN, disse que vai revelar todos os truques do filme e dar dicas, mesmo sabendo que vai destruir muitas ilusões. Mas acha importante que saibam como o filme foi feito. Colin diverge de muitos filmes de horror por contar a história do ponto de vista do zumbi.
Depois de todo o burburinho entre os distribuidores no Festival de Cannes, no início deste ano, a Kaleidoscope Entertainment comprou o filme e vai lançá-lo em 6 a 15 salas do Reino Unido. Mas ainda não existem planos para distribuição internacional.
O próximo projeto de Price é descrito por ele como um drama da II Guerra Mundial com uma pitada de horror – e também terá uma criatura no final. O roteiro está escrito e o elenco escolhido. Tudo o que ele precisa agora é financiamento. “Não muito, mas um pouquinho mais do que para Colin”, finaliza.
Mais....
http://www.oesquema.com.br/conector/2009/06/26/colin-em-cannes.htm
Vídeo
http://vids.myspace.com/index.cfm?fuseaction=vids.individual&videoid=61299468

Pôster conceitual criado pelo artista Roland Tiangco

Presta bem atenção:




terça-feira, 27 de outubro de 2009

A arte das moscas mortas!













Tinta anti-WiFi


Tem uma história, não lembro bem com quem foi, mais ou menos assim: sujeito entrou num WiFi do vizinho, que não tinha senha e mudou o nome da rede para “Coloque Senha Nessa Rede”. Com senha.
Se você não quer que seus vizinhos compartilhem sua conexão WiFi, agora além da senha, você pode pintar suas paredes com esta tinta desenvolvida pela Universidade de Tokio. Com um composto de oxido de ferro e alumínio, por apenas 10 libras o quilo, a tinta bloqueia WiFi e outras frequências de rádio. Mas lembre-se WiFi não sai, só que FM não entra. Nem celular, o que faz da tinta um recurso perfeito para cinemas. Outro uso inteligente é em hospitais, para bloquear radiação eletromagnética.
via Update or Die de Neto

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Feirinha leva informação para combater o câncer de mama


Em comemoração ao mês mundial de conscientização sobre o câncer de mama, a Feira de Arte e Artesanato de Sete Lagoas promove o movimento “Um beijo pela vida contra o câncer de mama e violência doméstica”. Na próxima sexta-feira (23) e sábado (24), a partir de 20h, os visitantes da feirinha poderão se informar sobre o câncer de mama, com orientações médicas e cartilhas, além de aprenderem mais sobre o auto-exame. A ação promove ainda um acompanhamento da saúde em geral, com medição da pressão arterial, índice de massa corporal e glicose.
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), os sintomas mais comuns de câncer de mama são nódulos ou tumores no seio, acompanhados ou não de dor no local. A estimativa, em 2008, é de que quase 50 mil mulheres tiveram novos casos de câncer de mama no país. O Instituto avalia que 51 em 100 mil casos podem apresentar riscos e o auto-exame é um dos primeiros passos para identificar o câncer. Exames complementares, como a mamografia, são recomendados pelo INCA para as mulheres.
O movimento “Um beijo pela vida” é uma promoção da diretoria da Feira de Arte e Artesanato, Secretaria de Cultura e Comunicação e AVON regional. A feirinha está localizada na praça à beira da Lagoa Paulino

Governo planeja banda larga a R$ 9,90


Em entrevista à Agência Reuters, o ministro das Comunicações Hélio Costa afirmou que o presidente Lula quer começar um projeto nacional de banda larga no final do mandato. O preço estimado pelo ministro: R$9,90.
O projeto começa em novembro deste ano, engloba todo o país e deve ser concluído em 5 anos. O custo total é de R$ 10 bilhões. O ministro defende a parceria público-privada (PPP) para prosseguir com a iniciativa. “Neste momento não tem uma empresa capaz de tocar um empreendimento desta magnitude" – disse o ministro ao ser questionado sobre a reativação da Telebrás.
O plano deve incluir incentivos fiscais, crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) e utilizará a infraestrutura de transmissão pouco aproveitada do próprio governo.
Na semana passada, durante a Futurecom em São Paulo, operadoras de telecomunicações privadas manifestaram o desejo de participar do plano de universalização da banda larga.
Otávio Marques de Azevedo, conselheiro da Oi e presidente da holding Andrade Gutierrez, criticou fortemente a ideia de ressuscitar a Telebrás, aventada por alguns técnicos do governo.
Uma das demandas do setor é a retomada do leilão de freqüências, que garante que o aumento de serviços seja suportado. O ministro quer realizar licitações para o primeiro trimestre de 2010 e afirmou que questões técnicas impedem a oferta de frequências "na pressa com que querem as empresas".
Costa quer oferecer freqüências usadas para banda larga com tecnologia WiMAX e a de 450 MHz, usadas para tecnologia móvel nas áreas rurais. Um problema a ser solucionado é a interferência causada pelo WiMAX na frequência 3,5 GHz e a televisão banda C, com 20 milhões de antenas no país. "Até o final do ano nós resolvemos essa questão do 3,5 GHz com WiMAX, senão vai ser o caos", comentou o ministro.
Na última semana, o governo de São Paulo lançou um programa de banda larga popular por R$29,90 por mês. Para Costa, o preço pode ser bom para São Paulo, mas é alto para regiões mais pobres do país.
Redação Adnews

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Papel de parede iluminado by Jonas Samons

Fonte de iluminação diferenciada é novidade em Feira italiana (Milão).
O efeito somente aparece, se o papel de parede estiver conectado a uma fonte de energia.


Fonte: http://www.objetosdedesejo.com

Propaganda de cigarro já teve bebê e médico, mostra exposição em SP

Papai Noel mandava você fumar. Médicos diziam que, se você não consegue parar, então o melhor a fazer é usar Marlboro. Dentistas pregavam que o negócio para evitar dentes amarelos eram os cigarros com filtro. Até bebês de colo eram convocados para as campanhas: "Nossa mamãe, você gosta mesmo do seu Marlboro". Ao que a mãe explicava: "Sim, você nunca sente que fumou demais. É o milagre do Marlboro!".
Bem-vindo ao mundo aparentemente insano da publicidade de cigarro. Ele é o tema de uma mostra que abre hoje em São Paulo, na livraria Cultura do Conjunto Nacional, com um título que já entrega tudo: "Propaganda de Cigarro. Como a Indústria Enganou Você". A exposição fica em cartaz até o dia 26.
Editoria de Arte/Folha Imagem

São 63 reproduções de campanhas veiculadas na imprensa e na TV nos EUA, entre 1920 e 1950. Foram coletadas por dois professores da Universidade Stanford: Robert Jackler (médico) e Robert Proctor (historiador da ciência).
É um mundo só aparentemente insano porque tudo ali foi planejado, disse Jackler à Folha. Nos anos 50, bebês, Papai Noel e noivas eram usados para que o cigarro não fosse visto como coisa de desclassificado, como a indústria temia, mas como um dado do cotidiano.
"A estratégia era fazer do cigarro um elemento essencial do cotidiano: do trabalho, dos jogos, da amizade, das férias e, especialmente, do amor."
Divulgação

Mostra revela que até bebês foram usados para vender cigarros em propagandas
Na década de 50, a indústria tinha duas tarefas de Hércules: transformar o cigarro em algo banal como um doce e responder às pesquisas científicas que demonstravam o efeito cancerígeno do fumo. O plano foi fazer de conta que as evidências de que o cigarro vicia e mata não estavam comprovadas.
A primeira peça dessa estratégia é um anúncio publicado em 4 janeiro de 1954 sob o título "Uma declaração franca aos fumantes". Saiu em cerca de 400 jornais e dizia que a indústria revelaria tudo o que soubesse sobre fumo e saúde.
A peça, que está na exposição, já trazia uma mentira --pelo menos desde 1950 a indústria já sabia que fumo causava câncer e só foi admitir isso quatro décadas depois.
Jackler afirma que não se trata de uma mentirinha branda, comum no mundo publicitário, já que milhões de pessoas morreram por causa dessa estratégia. "Em vez de demonstrar preocupação com a saúde do consumidor, a indústria simplesmente criou o mito de que o cigarro é seguro e pode inclusive melhorar a saúde."
A exposição é repleta de amostras de anúncios sobre os benefícios do cigarro à saúde. Uma propaganda de Lucky Strike afirma: "20.679 médicos dizem que Luckies é menos irritante", referindo-se à garganta. Outra peça, do Camels, apregoa: "Mais médicos fumam Camel do que qualquer outra marca".
O levantamento do Camels foi feito num congresso em que o fabricante distribuiu maços na porta de entrada e perguntava na saída "que cigarro você tem no bolso?", segundo a curadora brasileira da mostra, Bia Pereira. A exposição é uma iniciativa da agência Nova/SB, que cria anúncios contra o fumo para a Organização Mundial de Saúde.
Editoria de Arte/Folha Imagem

Os médicos que aparecem nos anúncios são, em sua maioria, atores, mas Jackler não poupa seus pares. O apoio dos médicos foi conseguido, segundo ele, com injeção de dinheiro nas entidades de classe. O caso mais famoso é o da Associação Médica Americana, que hoje lidera as campanhas contra o fumo: nos anos 50 o jornal da entidade trazia anúncios em que os médicos pregavam os benefícios do cigarro para a saúde.
Para quem acha que tudo isso é coisa do passado, Jackler tem uma resposta na ponta da língua: a indústria do cigarro faz a mesma coisa até hoje.
Mario Cesar Carvalho
da Folha de S.Paulo

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Desconstrução

Não quero reformar nada! Não quero reformar ninguém! Apenas quero desconstruir minha religião e dar-me a oportunidade de começar novamente. Do zero!
Quero aprender a orar porque suspeito que nunca aprendi em todos esses anos de eloquentes orações entonadas no conjunto de súplicas adornadas de lindos verbos.
Quero desfazer de tudo que sei, ou que penso saber, e de tudo que não sei, e penso não saber, para aprender paulatinamente através de uma busca sincera, paciente, desobrigada, verdadeiramente motivada e autêntica, tudo quanto preciso, quanto quero e quanto me é essencial na jornada da fé. Quero despojar-me dos manuais religiosos, das doutrinas inquestionáveis, das tradições incoerentes e da estupidez e falácia da religião.
Quero me desviar dos caminhos da "i"greja que não segue o Caminho de Cristo. E andar na contra-mão desse sistema religioso elaborado sobre outro fundamento que não Jesus, a Rocha Viva. Quero tirar a capa que me identifica como "cristão" com o emblema da cruz para vestir-me de amor pelo próximo e por esse amor ser conhecido como discípulo de Cristo. E carregar não o emblema da cruz, antes, tomá-la dia após dia em meus ombros e renunciar à volúpia e morrer para o pecado.
Quero fugir dos grandes eventos de milagres e shows da fé, patrocinados por sórdida ganância e puro estrelismo. E me juntar aos homens de Deus presenteados com o dom da cura que trocam o palco pelo corredor dos hospitais. Que ao invés de pedirem que vão a eles, se disponhem a IR aos que necessitam.
Quero ser livre para pecar! E da mesma maneira não pecar por entender que não me convém. Mas, se o desejo do pecado ronda a minha mente e não peco por causa da pressão de ter que me consagrar no ministério da "i"greja, que pobre que sou. Porque ainda não seria livre do pecado, mesmo não o praticando... Quero aprender a conduzir meu estilo de vida como resposta de gratidão à aceitação e perdão de Cristo, não como regras e proibições eclesiásticas que não tem efeito nenhum contra o pecado.
Estou desconstruindo a minha fé míope e doente para cultivá-la de forma autêntica, sincera, humana e verdadeira. Estou disposto a arriscar minhas crenças pelo conhecimento da verdade eterna, de modo, que mesmo vendo-a como em espelho, possa um dia conhecê-la completa assim como sou conhecido. Se para encontrar o Deus que está estampado no caráter de Cristo, me tornar necessário descrer do Deus pregado, e tornar-me ateu, que assim seja. E que possa, conhecê-Lo de forma pura, única, pessoal e intransferível.
Talvez, só agora tenha entendido o que significa "nascer de novo"...
Thiago Mendanha

McDonald's - intervenção urbana para divulgar o McCafé em Vancouver no Canadá



terça-feira, 20 de outubro de 2009

O Futuro é Fantástico

video

Coca-Cola e o sexo oral


A Coca-Cola sempre foi alvo de críticas por sua “dominação capitalista viciosa”. Talvez pensando nisso, na década de 80 um ilustrador resolveu se divertir um pouco e teve uma idéia “brilhante”: inserir uma pequena silhueta de uma mulher fazendo sexo oral em peças publicitárias.
Os posters foram todos impressos, inclusive pintados nos caminhões da Coca-Cola, até que alguém percebeu a brincadeira, justamente na imagem da traseira de algum caminhão. O artista que criou a imagem foi demitido e processado. Todo o material teve que ser retirado de circulação, destruído e reimpresso, acarretando um prejuízo de $200.000. Tudo isso aconteceu na Austrália. Imaginem quanto vale hoje um desses posters, caso algum tenha se “perdido” por aí…
Fonte: http://casadogalo.com/coca-cola-e-o-sexo-oral

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Anúncios para PlayStation 3 que nem a Sony teria coragem de publicar

Uma coisa que não podemos negar é o gosto duvidoso das campanhas publicitárias que a Sony inventa para seus consoles. Desde o rapaz que tinha um dedão no lugar de “Zé Pequeno” até o “Play Face” bizarro.
Pensando nisso, o Gizmodo lançou um concurso de Photoshop desafiando as pessoas a fazerem o anúncio mais bizarro de PS3. O ganhador foi esse:

Confira mais imagens .












Fonte: http://www.gamevicio.com.br/i/noticias/32/32358-anuncios-para-playstation-3-que-nem-a-sony-teria-coragem-de-publicar/index.html